quarta-feira, 22 de abril de 2015

2h53 da manhã

E eu aqui estou, com mais uma das minhas famosas insónias. Já dormi cerca de 1 hora, entre a meia noite e a 1h da manhã. E agora... Já me levantei umas três vezes, já comi este mundo e o outro, já chateei o gato com festas, já levei uma patada da cadela, que dorme a sono solto e não quer que a chateiem (e faz ela muito bem) e como já não sei o que fazer mais para me entreter - ou para adormecer - resolvi vir aqui escrever estas parvoíces. A seguir vou ver o ER na SIC Mulher e depois ou bem que adormeço ou vou por-me a fazer crocher, lol!

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Sobre a Kiara

Esta cadela caiu do céu. Foi um impulso sem sombra de dúvida, mas na realidade, olhando para tudo o que aconteceu, quase me apetece dizer que foi um pequeno milagre que aconteceu aqui por casa.

Adoptámo-la no dia imediatamente a seguir ao último post que eu aqui tinha escrito; nesse dia acordámos todos muito em baixo por causa da Tuxa e, como eu não nada apologista de deixar os miúdos guardarem tudo para dentro, achei que seria boa ideia irmos até ao sítio onde tínhamos deixado a gatita, onde ela tinha estado internada e tudo o mais. Para ver se eles choravam, se punham as emoções para fora, se... sei lá. Até pensei que, se fosse preciso, ia mesmo à clínica veterinária falar com as 2 médicas que a acompanharam nos últimos momentos e pedia-lhes se não se importavam de dar uma palavrinha de conforto ao meu mais novo.

Já nos tinha passado pela cabeça adoptar um outro animal, mas ainda estávamos a ponderar se seria gato, cão, coelho... enfim, as hipóteses colocadas foram imensas, mas decisões, nenhuma estava tomada.

Tomámos um café, os miúdos estavam tristinhos e o meu marido sugeriu que fossemos à loja dos animais, só para espreitar. Estavam lá uns 7 ou 8 cachorros, pequeninos, fofinhos, amorosos. E gatos, também pequeninos e amorosos. E depois, numa outra box, separada de todos, a Kiara, já grandinha e com um olhar tão triste... Ela olhou para nós, eu e o meu marido trocámos olhares e lá fomos atrás de um funcionário, que nos contou a história dela e disse que, como ela já tinha 5 meses, não podiam ficar com ela na loja (não sei porquê, ele não explicou e nós não perguntámos), no final do dia teriam de a enviar para uma associação ou canil se ela não fosse adoptada. Nós trocámos olhares outra vez e... Lá veio ela!

Não imaginam a alegria dos miúdos, que em menos de 5 segundos passaram das lágrimas às gargalhadas, já que a "fera" os lambeu todos de cima abaixo, lol! Fomos imediatamente à clínica marcar consulta e, coincidência das coincidências, quem é que nos recebeu? Pois, a médica que tinha acompanhado a Tuxa. Foi ouro sobre azul.

E pronto, a Kiara veio connosco e até ao momento tem sido uma cadela espectacular, calminha, meiguinha e brincalhona; ainda não pode ir à rua como deve ser, só ao colo, mas ainda hoje foi connosco levar o filhote à escola e tomar café numa esplanada, ao meu colo, e adora!

Os gatos aceitaram-na muito bem, nós até ficámos admiradíssimos; ao fim de 2h, o gato já estava deitado ao pé dela e a roubar-lhe comida; a Yuki (gata) demorou mais um bocadinho, mas também a aceita; não brinca com ela como o gato, mas também não foge nem se assanha. E pronto, a família ganhou um novo membro completamente caído do céu.

Sinceramente, ainda ontem eu e o meu marido comentávamos que foi algo que tinha mesmo de ser... O eu resolver ir ali tomar café, o ele sugerir entrarmos na loja, a senhora ter conseguido parar o carro e levar lá a cadela, os senhores da loja aceitarem que ela lá ficasse naquela tarde... Tinha mesmo de ser.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Olá, eu sou a Kiara!!


Sou uma cadelinha de 5 mesinhos e agora faço parte desta família maluca... Querem que vos conte como vim aqui parar???

Pois não sei muito bem... Só sei que fui encontrada na rua, sozinha, cheia de fome e sem saber o que fazer... Quase fui atropelada pelo carro de uma senhora, mas felizmente ela viu-me a tempo! Parou o carro, pegou em mim e levou-me a uma clínica onde tratam de animais, porque não podia ficar comigo. Essa clínica tem uma loja ao lado onde costumam ter alguns cachorrinhos para as pessoas adoptarem, mas eu já era um bocadinho crescida e por isso não me podiam ter lá muito tempo. Os senhores doutores veterinários fizeram-me uma consulta, viram que eu estava bem mas com muita fominha, e por isso deram-me comida e água. Conversaram com os senhores da loja e puseram-me lá nesse dia, mas se ninguém me quisesse... Teria que ir embora nem sei para onde!



Pois é. Mas fiquem descansadas, que eu não estive lá nem duas horas! É que esta família tinha ido tomar um café perto da clínica e da loja porque tinham perdido lá uma gatinha uns dias antes e resolveram entrar na loja; eu olhei para eles; eles olharam para mim. Depois afastaram-se... Mas pouco! Conversaram um bocadinho e, de repente, a porta da box abriu-se e deram-me colinho!! Fiquei tão contente que vocês não imaginam!!! Tratei logo de abanar muuuito a minha cauda e dar muitas lambidelas a todos :)



E pronto, vim para esta casa e estou muito bem servida com estes donos meio amalucados, que passam a vida a dar-me mimos e festas. Em troca, eu tento portar-me bem! Já cá estou há pouco mais de uma semana e ainda não roí nada que não devesse... Também sou sossegadinha e durmo a noite toda na minha caminha. Só ainda não aprendi a fazer as minhas necessidades no sítio certo, mas com tempo e paciência lá chegarei!

Ainda só posso ir à rua ao colo, porque só agora é que estou a levar as vacinas que devia ter levado quando era mais pequenina... Mas os meus donos não se importam e não é por isso que fico fechada em casa! A minha dona pega-me ao colo, senta-me no carro, põe-me o cinto de segurança (sim, tenho um cinto próprio, só para mim!) e lá vou eu com eles à esplanada, ou levar o dono mais novo à escola; e gosto!

Ah! Também há por aqui dois gatos... Mas não há problema, damo-nos todos bem!



Só para terem uma ideia, estas duas fotos foram tiradas logo no primeiro dia... Agora, já comemos todos juntos e tudo :)

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Estados de Alma

Tenho tantas coisas que queria escrever aqui, mostrar-vos, contar-vos... Mas o estado de alma não está famoso e enquanto não melhorar, também não escrevo. Estou farta do lado negro deste blog. Sim, do lado negro. Aquele em que só falo sobre desgraças. No início deste ano a coisa até correu bem, mas de repente ficou negra como breu. Como a minha alma. E não gosto de ter um blog assim tão escuro.

Por isso, enquanto não conseguir começar a dormir como deve ser, enquanto o meu filho não conseguir começar a dormir como deve ser (está a sentir imenso a falta da Tuxa... Acorda de noite a chorar, outros dias nem consegue adormecer, enfim), enquanto não conseguir ganhar coragem para começar a pôr a casa outra vez em ordem, vou continuar a passar por aqui só de vez em quando.

Se por acaso alguém tiver alguma sugestão sobre como ajudar o meu pequenino a ultrapassar esta fase, agradeço; é que estou a ficar sem ideias e sem palavras de consolo para ele :(

Continuo a visitar os vossos cantinhos todos os dias, mas têm faltado as palavras para comentar... A ver se isso também muda.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Afinal... A patita não estava partida

Passámos um susto enorme. Levámos a gata ao veterinário com uma suspeita de pata partida (estava - e está - praticamente solta, sem que a gata consiga apoiá-la no chão) e acabámos a descobrir que a bichana, apesar de todos os desparasitantes e mais alguns que são supostos e que estavam em dia, tinha sido picada/mordida por um qualquer bicharoco que lhe deixou um parasita no sangue, daqueles tão bons, tão bons, que a gata em pouquíssimos dias perdeu metade do seu peso, ganhou uma anemia brutal, ficou com um nível de desidratação assustador e quase que ia desta para melhor.

Eu tinha notado alguma prostração nos últimos dois ou três dias, mas como a gata é muito independente e gosta é de estar sossegada no seu canto, nunca me passou pela cabeça uma coisa destas... Enfim. Ficou internada desde 5ª feira até sábado, sob vigilância permanente. Fomos vê-la todos os dias e notava-se que ela estava em sofrimento, não só por estar doente, mas porque no internamento estavam outros animais, nomeadamente cães e um pato, que grasnava que nem um louco, e ela fica muito stressada com outros bichos por perto...

Por isso falámos com a veterinária e, com muito receio mas certos que conseguiríamos fazer tudo o que pudéssemos pela bichana, trouxémo-la para casa no sábado, na condição de lhe darmos a medicação sem falta e vigiarmos eventuais vómitos e diarreias, confirmar que come, que bebe água, etc. Tivemos que comprar uma "jaula de contenção" própria para ela estar mais protegida, porque afinal a pata ainda esta quase solta e conseguirmos vigiar tudo, mas decididamente, fizemos bem em trazê-la para o ambiente dela!

De uma gata que, na 5ª e na 6ª feira nem a cabeça levantava porque não tinha forças, hoje, quando a levámos à consulta de seguimento, a veterinária até ficou de boca aberta! Já reclama, já se levanta (torta, mas levanta), engordou quase 500g, já dá as suas voltinhas... Não imaginam o alívio.

Sim, alívio... Porque entre 5ª e sábado a minha pessoa nem dormiu, só chorou, com medo que a gatita não sobrevivesse, com sentimentos de culpa por não me ter apercebido mais cedo, etc. Agora felizmente estou mais calma; e a gata também! Se amanhã me lembrar, tiro uma foto ao novo "quarto" da bichana, que ela adora... Nós bem que a tiramos de lá, abrimos a porta e tal, mas ela gostou mesmo dos seus novos aposentos :)

Sobre a patita, ainda vamos esperar mais uns dias, para ela ficar mais forte, fazer novas análises e depois então ver bem o que se passa e como se pode tentar resolver a situação. Mas partida não está, porque já fez radiografias e não se viu nada partido!

quinta-feira, 19 de março de 2015

Sem comentários outra vez...

Eu já pouco aqui venho, para ver se este blog não se transforma num "ninho" de desgraças, mas a verdade é que isto anda mesmo complicado.

Sobre a minha sogra, pois que no dia em que foi internada era para ser operada; no dia a seguir, mandaram-na para casa, porque afinal não tinha nada; dois dias depois, de novo para o hospital. O meu marido esteve mais de 10h com ela no hospital (sim, leram bem, mais de 10h), depois de 8h de trabalho em cima e de se ter levantado às 4h da manhã (para ir trabalhar). Ficou internada outra vez, para ser operada; no dia seguinte, "ah, afinal já não operamos, vamos tentar outra coisa." Ficou lá até ontem. Não imaginam a saga para a trazer para casa (dela), mas vou poupar-vos à descrição.

Ora, férias com o caraças. Sogra em casa, mas sempre em sobressalto com medo que o telefone toque e lá tenha o marido de ir com ela para o hospital. Pensámos nós em pegar no dinheiro que seria para as (mini)férias e fazermos um pequeno telheiro no quintal, que nos daria muito jeitinho.

Pois. Hoje acordamos e... Uma gata com uma pata partida. Não fazemos ideia como, já que quando nos deitámos ontem a gata estava óptima e a correr por todo o lado... Presumo que tenha saltado de algum sítio mais alto e tenha caído mal. Portanto, lá se vai o dinheirinho para o veterinário.

Resumindo, coração aos pulos, férias nem vê-las, dinheiro também não, telheiro muito menos e tristíssima por causa da gata. Isto está a correr mesmo muito bem, não vos parece???

sexta-feira, 13 de março de 2015

Sem comentários

Cá por casa, há uns bons 3 anos que não passamos um dia fora de casa; ou seja, que não temos férias, que não vamos para lado nenhum. O marido resolveu que, desta vez, iríamos passar duas noites a qualquer lado nas férias da Páscoa dos miúdos, porque tanto ele como eu estamos a precisar de descansar. Pesquisámos, pesquisámos, e lá encontrámos um sítio que nos pareceu agradável e a um preço acessível.

Ontem, ele ligou para lá a pedir informações e já ia para fazer a reserva quando eu, repentinamente e sem saber explicar porquê, me saí com um " Não! Não reserves já, que ainda pode acontecer alguma coisa até lá!".

Pois. Sabem o que aconteceu?? Sogra internada. A senhora outro dia "resolveu" (e digo isto assim porque ela tem problemas nas articulações dos joelhos e não liga nenhuma, faz tudo como lhe apetece, levanta-se e senta-se de qualquer maneira, etc) espalhar-se em casa e bateu com a cabeça num móvel, valentemente. Como ela acha que ainda tem 20 ou 30 aninhos em vez dos quase 80 indicados no BI, não ligou nenhuma. Hoje, foi de charola para o hospital. O meu marido está lá com ela; já sabe que vai ficar internada e que vai ter que ser operada. Lá se foram os diazinhos de descanso e lá vêm mais problemas, preocupações e complicações.

Eu não tenho nada contra a minha sogra, mas ela não me suporta (vá-se lá saber porquê); já lhe aturei muito, já engoli em seco muitas vezes. Se ela tiver que vir cá para casa, não sei se tenho capacidade para lidar com a situação sem me passar de vez. E podem dizer que sou insensível, fria, egoísta, o que quiserem, mas a realidade é que só eu sei o que já ouvi e o que já passei com a minha sogra. Desejo sinceramente as melhoras dela, mas não é por ela ter um acidente que eu vou esquecer todas as vezes em que ela me fez a vida negra.

E já agora expliquem-me lá porque raio é que eu adivinho tudo, menos a porcaria dos nºs do euromilhões ou até do totoloto???

terça-feira, 3 de março de 2015

Hoje... Apanharam-me de "ovo virado"!

Esta tarde recebi um sms (de marketing, claro) nos seguintes termos:

"Sabemos que já falou com o YYYYY (nome de um qualquer funcionário que eu não faço ideia quem seja), agora basta responder XXXXX (a marca em questão, com a qual nunca tive qualquer espécie de contacto) a este sms para agendar o seu check up e beneficiar dos nossos pacotes promocionais...." Continuava, mas acho que não vale a pena estar aqui a escrever tudo.

E eu, de imediato, respondi:

"Pois então sabem mal porque eu cá não falei com ninguém, muito menos com a pessoa em questão, que nunca vi mais gorda nem nunca ouvi falar. Agradecia que retirassem o meu contacto da vossa base de dados."

Se fui brusca?? Talvez. Se fui mal educada?? Talvez. Mas é como digo, apanharam-me de ovo virado. E verdade se diga que até podia ter sido muito mais inconveniente...

Já o meu marido, riu-se a bandeiras despregadas quando eu lhe mostrei a mensagem e a minha resposta!

segunda-feira, 2 de março de 2015

Fevereiro para esquecer

Ah pois é! Entre constipações, conjuntivite, desarranjos intestinais (foi a última, ainda nem vos contei) e o meu estado de cansaço, quase nem deu para respirar.

Não tenho a mais pequena noção dos gastos, nem do que tenho na despensa ou na arca frigorífica, nem da roupa que está lavada, para lavar ou para engomar. Sobre o peso, é melhor nem falar... Ainda não me pesei, mas é bastante provável que tenha voltado à estaca zero (ou pior!). Sinceramente, nem sei se hei-de desatar a rir ou a chorar. Não há-de ser nada.

Hoje já consegui começar a engomar alguma roupa. E já tenho uma maquina preparada para lavar à noite. A próxima prioridade é ver o que tenho na arca e na despensa e planear algumas refeições. E a seguir, anotar o que está em falta e ir às compras.

Espero bem que o mês de Março seja um bocadinho mais simpático do que o seu antecessor... Ou pelo menos que nos dê alguns dias de tréguas em relação a maleitas!

Ainda não é desta que ponho as visitas aos vossos cantinhos em dia, mas prometo que está quase!!!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Dentista de Ouro

Lembram-se deste post? Aqui referi que o meu filho tinha o primeiro dente de leite a abanar e que estava a ser um sarilho porque o miúdo não queria ficar sem o dente...

Pois, com o segundo dente a coisa piou mais fino. Então não é que o dente definitivo rebentou por trás do de leite, que nem sequer abanava nem dava sinal de o vir a fazer nos tempos mais próximos?? Ora toca de levar o miúdo ao dentista. O miúdo, quando ouviu falar em dentista, petrificou. Mas petrificou mesmo. Que não queria, que os dentistas eram maus, que faziam doer, e isto, aquilo e aqueloutro. Umas quantas conversas preparatórias e hoje lá foi ele sentar-se na famigerada cadeira.

Tal como eu suspeitava, o dente de leite teve de ser arrancado. E tal como eu NÃO esperava, o meu filho portou-se como um anjinho! Eu à espera de uma birra desgraçada, de ter de o amarrar à cadeira ou algo parecido, e o miúdo nem um ai soltou. Para isso também contribuiu o dentista, que eu já conheço há anos e sei que é extraordinário, não só como dentista mas também na forma como fala com os pacientes, explica o que está a fazer e tudo o mais. É um dentista de ouro!

No fim, o miúdo perguntava: "Já 'tá?! Não dei por nada. Já 'tá mesmo?! Já posso ir embora?! Isso é o meu dente?!"

E ponto, hoje lá há-de vir a fada dos dentes outra vez.

Quanto à restante saúde oral, o dentista deu-me os parabéns, já que o pequenito não tem nenhuma cárie, sabe escovar bem os dentes (pô-lo a escovar os dentes para ver como é que ele fazia e tudo) e a única coisita é que é preguiçoso para mastigar... Coisa que eu já suspeitava, lol! A sugestão do dentista é que o ponha a comer mais maçãs, porque as maçãs obrigam a que a mastigação seja feita correctamente, o que nem sempre acontece com outros tipos de alimentos - isto eu não sabia :)

Por isso, já sabem: se os vossos filhos forem maus mastigadores, ponham-nos a comer maçãs!!!

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Estou melhor

Em jeito telegráfico, porque estou melhor, mas ainda não estou boa:

  • Marido de pé, curado da gripe (espero eu)
  • Filho sem conjuntivite
  • Filha a mexer-se, porque não tem outro remédio

E eu tenho dormido como se não houvesse amanhã. Assim que o marido melhorou avisei que agora era a minha vez. Desde 6ª feira que não quero saber de nada - nem de comidas, nem de contas para pagar, nem de casa, nem de educação de filhos nem de coisa nenhuma. Os dias têm sido passados entre filmes, séries, crochet (que não faço nada... Passo mais tempo a desmanchar do que a fazer alguma coisa) e sestas. Estou literalmente a fazer uma cura de sono, apenas interrompida por obrigações inadiáveis, como levar o filho à escola quando o marido está a trabalhar ou fazer um panelão de sopa porque afinal também me apetece. De resto, eles é que se têm virado. E pela primeira vez na vida, não me sinto minimamente culpada.

Ah! E já achei o telemóvel. Tinha-o encafifado na caixa de 1ºs socorros, juntamente com o frasco do soro fisiológico e as compressas...

Obrigada TimTim pelo comentário que deixaste no último post, abriu-me os olhos! E obrigada a todas as outras meninas pelos respectivos comentários também :)

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Apagar

É disso que eu estou a precisar. de apagar. Ora vamos lá aos últimos acontecimentos:

Filho ainda aflito dos olhos e da maldita conjuntivite, que embora esteja muito melhor, não há meio de ir embora. A constipação também se mantém; não há medicamento nem mezinha caseira que resolva. E note-se que o miúdo já vai no 5º dia de antibiótico. Já ninguém o pode aturar, de tão farto que está de ficar em casa.

Marido piegas como ninguém imagina, até o filho já se queixa que o pai não se cala a dizer que está doente. Agora imaginem... Se um pirralho de 6 anos que NUNCA se cala manda (educadamente, é o que vale) o pai calar a boca porque já não o pode ouvir... O descalabro que isto não é.

A filha resolveu que não há-de mexer uma palha. Ora eu, cansadíssima, assim que lhe peço alguma coisa, levo logo com uma resposta torta. Pois. Maldita idade do armário. Ontem passei-me. Mandei-lhe meia dúzia de berros e mandei-a limpar a casa desse lá por onde desse. Se tem idade para namorar, também tem idade para ajudar. E enquanto não entender isso, a coisa vai andar em pé de guerra.

Eu, no último post, referi as minhas amigas dores de cabeça e a sensação de exaustão. Exactamente; as primeiras continuam por cá, a segunda é melhor nem falar. Só para terem uma ideia:

Ontem jantámos pão com queijo porque eu "resolvi" queimar o jantar por completo. Hoje pão com queijo jantámos, porque a "anta" da minha pessoa esqueceu-se de ligar o lume para cozinhar a comida... Ou seja, preparei tudinho, pus o tacho em cima do fogão e... Fui-me embora.

Pelo meio, já chapei com um pacote de leite no caixote do lixo em vez de o pôr no frigorífico, dei de caras com o pacote da manteiga na bancada da casa de banho (não faço ideia de como foi lá parar), fechei-me na rua quando fui estender roupa (vá lá que tinha gente em casa para me abrir a porta), esqueci-me de tomar a pílula durante dois dias seguidos - coisa que nunca na vida me tinha acontecido!!! - e ainda enfiei o telemóvel num qualquer sítio que ainda não descobri qual é, porque por mais que o meu marido me telefone, eu não ouço o dito cujo em lado nenhum; Sei que não o perdi porque não saí de casa... Mas não o encontro nem por nada.

Ah! E claro que também já estou constipada. Por isso, o que estou mesmo, mesmo a precisar é de apagar. Mas bem que posso ir sonhando, porque esse luxo não existe na minha vida. Volto a dizer... Assim que conseguir eu volto! E aos vossos cantinhos também.

E já agora, um desabafo de última hora: Quando será que eu vou conseguir estabelecer uma porcaria de uma rotina na minha vida e mantê-la por mais do que umas meras semanas??? Bolas, que está difícil... E não é por falta de tentativas!

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Desculpem lá a ausência...

Aqui e nos vossos cantinhos também! As coisas andam complicadas por aqui. O filho está com outra conjuntivite (teve uma há menos de 4 semanas...) e a juntar a isso uma recaída da gripe; hospital, medicação, anitibiótico para cima, a ver se fica bom de vez.

Claro que, no meio de tudo isto, o marido caiu à cama, também com gripe; o que vale é que faz companhia ao filho. Por outro lado, a verdade é que são ambos péssimos doentes. E eu... Pareço uma barata tonta, nem sei para onde me virar; casa outra vez de pantanas, um stresse de todo o tamanho, dores de cabeça que ameaçam tornar-se companheiras inseparáveis da minha pessoa e uma sensação de exaustão como nunca tive na vida.

Liguei agora o pc só mesmo para vos dizer porque é que ando desaparecida. Prometo que volto; só não sei é quando!

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Ecoponto Baralhado!

Finalmente terminei o fato de carnaval do meu filho! O tema eram os ecopontos e eu tratei de pôr a minha veia criativa (e satírica) a funcionar. Peguei num tapete anti-derrapante verde, patilhas de latas de sumo, argolas de garrafas de iogurte, palhinhas, linha, agulha e tesoura e pus mãos à obra. E aí deparei-me com um ligeiro problema: Ora que o ecoponto verde é o do vidro; e é claro que eu não ia pendurar vidro no fato de carnaval. Logo, surgiu a sátira, lol! E com a sátira, apareceu um Ecoponto Baralhado. A mini-história, criada por mim e pelo filho:

ECOPONTO BARALHADO

Sou Verde... Vidrão é o
meu nome... Como Vidro!

Mas...
Algumas pessoas dão-me plástico!
Outras...  Dão-me Metal!
Outras ainda... Dão-me Papel!

Fico confuso... Baralhado!

Elas não fazem por mal...
Também se confundem.

Ou será que não?!

E as fotos do fato, que estão péssimas porque as tirei agora mesmo e a iluminação é péssima, são estas:


A parte da frente, com a história como que em quadradinhos e as aplicações, todas elas pregadas com agulha e linha para ter a certeza que não caem... Horas a fio. Os papéis com o texto são aautocolantese estão também todos forrados com película autocolante (de forrar livros), não vá o diabo tecê-las e desatar a chover. Cantos reforçados com fita-cola colorida.


A parte de trás. Aqui não fiz quase nada, a não ser colocar a história por inteiro numa só folha, também ela autocolante, forrada e reforçada com fita-cola. Não deu para mais.

Também há uma coroa, com o título da história, mas está lá em baixo e esqueci-me de fotografar. Amanhã vou ver se consigo uma foto de jeito com o miúdo já vestido!

Só vos digo que, embora pareça bastante simples, este fato deu-me bastante trabalho a criar; o que vale é que o filho adora-o; por ele já o tinha vestido e dormia com ele e tudo. Só por isso, por ouvi-lo dizer "Obrigado mamã, vou ter o fato mais giro da escola toda!!!" e "és a melhor mamã do mundo!!!!", já valeu a pena e se preciso fosse fazia mais meia dúzia de fatos, lol! Então e a educadora vir ter comigo  hoje à tarde e perguntar-me o que era um "ecoponto baralhado"??? O desgraçado do miúdo já se descaiu, mas pelos vistos calou-se a tempo, hahahaha!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Semana de corropio e cadela "às prestações"

Olá, olá!!

Está mesmo complicado passar por aqui... Mas hoje lá consegui um bocadinho para vos dar um olá :)

Ora que o filho esteve em casa constipado 5ª e 6ª da semana passada, todo o fim de semana e, como se não bastasse, ainda por aqui ficou na segunda feira.

3ª feira, estava eu toda contente porque finalmente ia poder levar o miúdo à escola e ter umas horinhas para tratar do fato de carnaval dele (que este ano vai ser feito pelos pais, ou seja, pela minha pessoa), levanto-me de manhã, olho para a minha filha e... Ficou ela em casa, enfiada na cama, com um mau humor descomunal, porque detesta estar doente e ainda odeia mais faltar às aulas (sim, ela só falta se estiver praticamente de caixão à cova, sai a mim, coitada...).

Anti-gripe para cá, cházinho para lá, termómetro para cá, canjinha para acolá, ao final da tarde tive mesmo que a levar ao hospital porque ela quase não conseguia respirar e mal se aguentava em pé (aliás, ia mesmo caindo da escada abaixo porque lhe faltaram as forças de repente; apanhei um susto que nem vos passa pela cabeça). Medicamentos, aerossóis, observação... Foi até de madrugada. Felizmente hoje ela já acordou muuuuuito melhor! Ainda ficou em casa, mas em princípio amanhã já deve conseguir ir à escola, ou pelo menos é o que ela diz. A ver vamos.

Pelo meio, ando a tratar então da máscara do meu filho... Quando estiver pronta tiro foto e mostro-vos; ele diz que está a ficar muito gira, lol!

E como se não bastasse tudo isto, ainda fomos "adoptados" por uma cadela abandonada... A sério, isto, contado, ninguém acredita. Resumidamente, cá em casa somos todos malucos por animais, como já devem ter percebido. Aqui há umas semanas apareceu aqui no bairro uma cadela, lindíssima, abandonada; nós, patetas que somos, mais os vizinhos da frente, não nos aguentámos e demos-lhe comida e água, fizemos-lhe festinhas, brincámos um bocadinho com ela. Andámos a tentar descobrir quem seriam os donos da bicha, mas ela não tem chip e ninguém se "acusou".


Ora a bendita da cadela gosta é da vida airada; experimentou, gostou, e não quer ficar em casa de ninguém; mas gosta de festas, gosta de brincadeira, gosta de comidinha... E não vai de modas! Então não é que a bicha salta-me pelo portão dentro, vem dormir debaixo de uma mesa daquelas de plástico que tenho na parte da frente e ainda se atira contra a porta de casa a pedir comida e festas??? E todos os santos dias, de manhã, quando saímos, a "tipa" está sentada em frente ao nosso portão, do outro lado da rua, à nossa espera, como se nada fosse??

Nas primeiras vezes o Kiko (o nosso cão) não achou muita piada... Agora anda todo contente, se bem que ela salta para um lado do quintal  e ele está do outro, separados por um portão alto; põem-se um de cada lado, sentados e a dar à cauda. Mas nenhum deles quer que o outro passe o portão, lol! Já tentámos juntá-los e eles não acharam muita piada à coisa.

E pronto; a cadela vem quando quer, vai embora quando lhe apetece... Quando vem é bem tratada, quando vai ninguém a chateia; só espero é que não lhe aconteça nada de mal, mas se ela não quer ficar, também não a vamos obrigar. Vejamos no que dá, com o passar do tempo. Mas o meu marido, que nunca quis outro cão, já anda a ver se lhe dá nome e se a ensina a sentar, hahahahaha!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

A desaparecida voltou!

Ora que depois de uns dias desaparecida, estou de volta! E porque é que eu desaparecida?? Porque tenho os filhos "de molho". Ah pois é, não bastava um, desta vez foram os dois... Que maravilha!

Começou com o mais novo, que de quarta para quinta feira quase não dormiu, todo entupido, com tosse e cheio de frio, de tal maneira que não aquecia nem por nada. Um febrao, foi o que foi. Pronto, resto da semana em casa, fim de semana também e hoje ainda fica por aqui... Prefiro que fique mais um dia e melhore mesmo do que ir hoje à escola e amanhã fique outra vez em casa porque piorou...

Já a mais velha, a coisa é diferente, porque além de ter regime de faltas, também está em fase de testes. Felizmente ainda não teve febre, mas está que não se aguenta com dores no corpo, tosse, espirros... Passou o fim de semana enfiada na cama, mas agarrada aos livros. Ainda lhe disse para ficar hoje em casa, mas ela não quis faltar e saiu daqui há bocadinho, com um frio de rachar e mais gorda que um chouriço com tanta roupa que vestiu, lol! Estes miúdos são mesmo de extremos, ouvem que se vestem à verão, ou bem que parece que estão no pólo norte. E não vale a pena dizer nada porque não nos dão ouvidos...enfim!

Vamos lá ver o que me/nos reservam os próximos dias...

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Gatas

Palavra que perco a conta à quantidade de vezes que enxoto as bichanas do lava-louça e o lavo todos os santos dias... Têm ambas uma forte pancada pelo dito e fazem dele cama, lol!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Hoje atirei-me à casa de banho - Parte II

Como sabem não foi hoje, foi ontem, mas ficaram a faltar as fotos e essas sim, chegam hoje tal como prometido!

Cá estão os cestos da roupa, com a prateleira a separá-los! Aproveitámos um cantinho e o espaço vertical. Antes, estava aqui apenas um cesto e era uma guerra para o tirar de lá sempre que queria pôr roupa a lavar, porque era grande para o espaço em si.

Aqui, o banco pendurado na parede e o piaçaba também na parede, ambos com ganchos de ventosa.

Assim, o cantinho imediatamente por baixo fica acessível à vassoura e à esfregona e torna-se muito mais fácil de limpar. Claro que, entretanto, um dos gatos andou a explorar e atirou o gel de wc ao chão...

O aquecedor, que embora seja um mono, funciona lindamente; tem anos e anos e anos e costuma andar a "passear" entre o wc, a cozinha e os quartos sempre que é preciso, lol! Antes, estava aqui o outro cesto da roupa.

Só para terem uma ideia, uma foto da banheira e do duche; sim, temos ambos na mesma casa de banho!

Como ninguém usa a banheira (pelo menos regularmente), pus lá este estendal já há uns tempos, onde penduro todos os equipamentos do meu filho e respectiva mochila. Sei sempre onde estão e não corro o risco de estarem molhados quando ele precisa deles porque entretanto desatou a chover ou algo do género. Agora foram para lá as galochas do marido também.

O caixote do lixo continua no mesmo sítio; já o espaço à frente do bidé era ocupado pela casa de banho dos gatos, que subiu para o 1º andar. Um alívio, porque ganhei espaço de manobra!

Parece-vos bem???

Não está fácil fazer dieta (ou comer como deve ser) cá em casa...

Imagem retirada do Google Imagens
Vejamos:

  • Cozo ovos para o meu pequeno-almoço; quando lá chego, filho, filha e marido comeram-nos todos.
  • Compro galetes de milho para comer com requeijão ou com fiambre; quando lá chego, o filho comeu-as todas.
  • Compro um saquinho de frutos secos para comer alguns se me der a gulodice; quando lá chego, o marido comeu o saco inteiro.
  • Compro (ou faço) barrinhas de cereais para ter à mão caso tenha necessidade de sair à pressa ou algo parecido; quando lá chego, a filha despachou-as todas... Mas deixou a caixa vazia no sítio, para ver se me enganava!
  • Compro maçãs granny smith, que são as únicas que eu gosto; quando vou para comer uma... Não há, já todos as comeram, menos eu.
  • Compro iogurtes; quando lá chego... Já se foram e ninguém se acusa!

E olhem que eu ponho as minhas coisas lá num cantinho bem escondido... Quer-me parecer que tenho de arranjar um cantinho que dê para fechar a cadeado!!!!!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Hoje atirei-me à casa de banho - parte I

A casa de banho que nós usamos mais já me andava a irritar há uns meses. De cada vez que a queria limpar, perdia mais tempo a tirar tudo o que tinha no chão e a pôr de volta do que a limpá-la, lol! E não, não estou a exagerar. Ele eram dois cestos de roupa (para lavar), uma casa de banho dos gatos, dois comedouros, uma almofada também dos gatos, um banco desdobrável, um par de galochas do meu marido, os tapetes, o caixote do lixo, o piaçaba, a balança, o aquecedor no meio da casa de banho porque não o conseguíamos encostar em lado nenhum...

E por mais que desse voltas à cabeça não me surgia nenhuma ideia para organizar tantas coisas e tornar a limpeza mais prática, rápida e simples. Hoje deu-me a maluqueira, peguei no marido, enfiei-o na casa de banho, expliquei-lhe a situação e disse-lhe que só o deixava sair de lá quando ele tivesse uma ideia de génio para resolver o assunto... 

Ora depois de darmos umas quantas voltas à cabeça, a(s) ideia(s) de génio apareceu(eram)! Fomos à gaveta dos ganchos de parede e... Pendurámos o banco. A casa de banho dos gatos veio para o 1º andar, onde até é capaz de fazer mais falta... Assim fica uma em baixo e outra em cima! A almofada desapareceu, já que nenhum dos bichanos a usava. Depois ele perguntou o que é que eu achava se gastássemos uns euritos; eu fiz contas e vi que até talvez desse (nem que seja dos 50€ que pus de lado). Enfiámo-nos no carro e fomos comprar uma placa de madeira, umas poleias e um suporte de piaçaba com ventosa. De caminho, perdi a cabeça e comprei dois cestos novos para pôr a roupa (os que tinha não cabiam no novo espaço que lhes estava destinado)... Gastámos 35€ (isto vai complicar no fim do mês, mas eu acho que valeu a pena!). Mandámos cortar a placa na medida que queríamos.

Voltámos para casa, pusemos as poleias na parede e a placa/prateleira em cima; um cesto em baixo, outro em cima. Piaçaba pregado na parede. Galochas dentro da banheira (que não é usada, porque todos tomamos duche). Com isto, ficámos com espaço para encostar o aquecedor à parede.

No chão, ficaram os comedouros, os tapetes, o caixote do lixo, a balança e o aquecedor, claro. Ah, e o cesto da roupa de baixo. E a casa de banho parece que ficou com o dobro do espaço. Pelo menos, já não ando aos encontrões ao aquecedor e à bulha com a casa de banho dos gatos de cada vez que me quero pesar, limpar a casa de banho ou dar duche ao meu filho...

Haja marido. E bolas para mim, que quando meto uma na cabeça não descanso enquanto não resolvo... Se calhar podia ter esperado mais uns meses antes de gastar este dinheiro; por outro lado, não imaginam o alívio que é ter a casa de banho em melhores condições de utilização! E como isto foi uma maluqueira que me deu, não há fotos do antes. As do depois hão-de chegar amanhã :)

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Nunca saio de casa sem...


Numa tentativa para me recriar, ou seja, para criar uma pessoa de quem eu própria goste mais, as minhas rotinas domésticas (entre muitas outras coisas) têm vindo a ser (re)implementadas desde o passado mês de Dezembro. Aos poucos, vão-se tornando quase automáticas e ontem apercebi-me que já não consigo sair de casa sem:

  • Arrumar a louça lavada, da máquina e da bancada
  • Pôr na máquina a louça do pequeno-almoço
  • Se houver roupa lavada na máquina, tirá-la para um alguidar
  • Fazer a minha cama (depois de pôr a roupa para trás para apanhar ar assim que me levanto)
  • Pôr a roupa da cama do meu filho para trás para apanhar ar
  • Abrir as janelas para arejar a casa
  • Olhar para a lista de compras e verificar se há alguma coisa urgente que tenha de comprar (normalmente não há, mas confirmo sempre!)

Parece pouco, mas para mim é meio caminho andado para o resto do dia correr relativamente bem. E sim, este é um post agendado, já que a esta hora estou, muito provavelmente, a arrumar a louça da máquina ou a fazer a minha cama :)

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Janeiro de 2015: Retrospectiva

No início de Janeiro escrevi este post. E a seguir, mas no mesmo dia, escrevi este. E hoje venho fazer o balanço deste mês de Janeiro :)

A primeira coisa que me vem à cabeça é... Podia ter sido melhor, mas comparativamente a quase todo o ano passado (exceptuando o mês de Dezembro), foi bastante bom!!! Vejamos:

  • Perdi 2,6kg: 2kg certos nas primeiras duas semanas, mais 600g nas duas últimas; o que me parece bem, por um lado porque não tenho pressa e por outro porque a semana que passou não correu bem em termos de ansiedade, como sabem, o que me leva automaticamente a comer tudo o que não devo. Este é, decididamente, um ponto a trabalhar nos tempos mais próximos.
  • Consegui, pelo menos aparentemente, adquirir o hábito de beber água; de tal forma que em algumas alturas do dia já é automático - quando acordo é a primeira coisa que faço e faz-me falta, lol! Noto logo algo de errado se não beber o meu copinho de água. O mesmo acontece quando estou a fazer o almoço e o jantar. Basta começar a tratar de comida que vou imediatamente à torneira buscar água para beber, quase sem me dar conta. No entanto, para ter uma panorâmica geral em termos de ingestão de água (porque nos dias de ansiedade ainda falha muito e porque quero ter este controlo) criei um mapa mensal onde anoto os copinhos que bebo:

Parece-me um consumo razoável! Tirando, realmente, os dias em que entro em stress; aí, espalho-me ao comprido.


  • O Everest de roupa para engomar desapareceu da minha casa; desde que dei cabo dele, o máximo que engomo semanalmente é um pequeno montículo como o da imagem - foto tirada ontem, imediatamente antes de despachar o dito.
  • Resolvi experimentar o novo conceito (não é nada novo, a não ser para mim, hahahaha!) das "freezer meals + dump food", ou seja, pôr num recipiente (neste caso sacos de congelação com fecho) todos os ingredientes de uma dada receita, que depois se descongela e cozinha no forno ou no tacho, sem se ter de fazer mais nada. Parece-me uma boa ideia para aqueles dias em que me apetece tudo menos ir para a cozinha e sempre se foge das pizzas, hamburgueres, douradinhos e afins:

Estão aqui 4 refeições prontinhas a congelar e depois despejar num tabuleiro e pôr no forno. Mas já preparei mais umas quantas! Encontrei várias receitas no Pinterest e estou na fase de as testar.

  • Os menus semanais também têm sido feitos religiosamente. Seguidos da mesma maneira é que nem por isso... É que por vezes sobra comida e eu não deito nada fora; por aqui, come-se logo no dia a seguir e o que estava destinado para essa refeição passa imediatamente para a folhinha da semana seguinte (e sim, está ali uma refeição de nuggets, mas é porque os tenho na arca e preciso de os gastar). Durante este mês de Fevereiro vou planear também os meus lanches, para ver se se torna mais fácil organizar-me nesse departamento; mas esses não são rígidos, só lá vou se não souber mesmo o que hei-de comer ou não me apetecer nada em particular.
  • Agora, mudando para o lado do dinheirinho: Se bem se recordam, o ano não começou nada bem; felizmente, com muito jeitinho, lá conseguimos que o mecânico faseasse o pagamento do arranjo da carrinha, o que nos livrou de termos que ir à pequena poupança que ainda conseguimos ir tendo. Menos mal! O mês não foi famoso, e os próximos também não o serão, mas pelo menos não ficámos a dever nada a ninguém (excepto ao mecânico... Detesto prestações). 
  • Continuo a tentar pôr 50€ de lado todos os meses; não está fácil, mas eu não desisto! Os de Janeiro, estão lá, sossegadinhos, nem sei como; e os de Fevereiro vão fazer-lhes companhia assim que publicar este post :)
  • Em termos de organização, abrandei o ritmo e muito, o que não me está a agradar. Fi-lo por diversas razões, algumas válidas, outras apenas desculpas. Por isso, em Fevereiro quero recuperar o ritmo e continuar a organizar a minha casinha, até que ela fique ao meu gosto, gastando o menos possível! Ou melhor, não gastando nada, porque não há verba e ponto final parágrafo.

E pronto, assim de repente, são estes os pontos que queria focar. Se por acaso quiserem saber mais alguma coisa ou se eu me tiver esquecido de algo, avisem :)

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

...

Ainda meia perdida e desorganizada, mas já com algumas coisas no caminho certo. Pelo menos hoje já bebi os meus ricos 8 copos de água e uma chaveninha de chá. A alimentação também parece estar em ordem, esperemos que eu não estrague tudo à noite.

Exercício ainda não foi hoje. E quanto às tarefas da casa, algumas foram feitas, outras não. Ainda me sinto muito cansada mentalmente (a cabeça já dói há 3 dias seguidos, não há medicamento que alivie), mas aos poucos retomo o caminho... Pelo menos durante mais uns dias!

Isto de poupar deve ser contagioso

Estava eu há bocadinho no quarto a arranjar-me. De repente entra-me o miúdo pelo quarto adentro, a correr como se não houvesse amanhã:

- Oh mãe! Oh mãe! Oh mãe! Os iogurtes de beber vão estar mais baratos no fim de semana! Iupiiiiii!!!!!!!!! E a coca-cola também, mas isso eu não gosto!

- Hã??

- É no supermercado, vai haver uma promoção!

- Ah! E qual é o supermercado?

- Hum... Isso eu já não sei...


Ora o miúdo acabou de fazer os 6 anos... Logo, isto de poupar deve ser contagioso... Ou então é genético! Ainda estou parva com este diálogo. Agora tenho é que descobrir qual é o supermercado, lol!

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Hoje

Não liguei nenhuma nem à alimentação, nem à água, nem à casa, nem à família, pronto! Mas estou um bocadinho melhor que ontem.

Levantei-me às 7h como de costume para despachar os filhos para a escola; feita pateta, esqueci-me completamente que o mais novo não tinha escola de manhã (a educadora tinha uma reunião fora da escola)... Vá lá que me lembrei antes de o ir acordar! E se me tivesse lembrado antes, nem precisava de me levantar porque a mais velha já se entende sozinha.

Mas pronto, acordei e levantei-me; fiquei feita pateta a olhar para a tv até que o mais novo acordou; dei-lhe o pequeno-almoço, continuei a olhar para a tv. Entretanto ele acordou o pai. E eu... Fui enfiar-me na cama. Não porque estivesse com a neura, mas porque me estava mesmo a apetecer. Pus uma série qualquer a dar e ferrei a dormir em menos de 10 minutos. O marido deu almoço ao filho (que já estava feito), arranjou-o, levou-o à escola, a filha chegou da escola, almoçou, pôs-se a estudar, o marido foi buscar o filho à escola... E eu na cama; ora dormia, ora acordava uns minutos... Soube-me pela vida.

O facto é que eu ando muito cansada. Talvez não fisicamente, mas mentalmente. Porque como já disse muitas vezes, não nasci para ser dona de casa, custa-me horrores não trabalhar. Também me custa horrores nunca ter uma folga do papel de mãe, por uma ou duas horas que sejam. Sim, eu adoro ser mãe, mas bolas, ainda outro dia comentava num dos vossos blogues (agora não me lembro qual) que há pelo menos 13 ou 14 anos que não vou ao cinema ver um filme "normal" (leia-se um filme que não seja de desenhos animados); há mais ou menos o mesmo tempo que não consigo sequer ir tomar um café sozinha com o meu marido - já nem falo em ir jantar fora, passar um fim de semana só os dois, etc. E ele a mesma coisa, claro. Estamos os dois cansados. Extremamente cansados. Por enquanto ainda nos vamos abaixo um de cada vez, mas sempre quero ver se um dia cairmos os dois ao mesmo tempo...

Outra coisa que me custa imenso é passar os dias inteiros a fazer contas; a ver se consigo comprar a comida que é preciso, se há dinheiro para uma botija de gás, se consigo pagar as contas todas. E pelo caminho, ter constantemente que dizer não aos meus filhos quando eles pedem alguma coisa; a mais velha, coitada, já nem pede nada. Já percebe muito bem a situação e a única coisa que pede lá de vez em quando são 2€ para almoçar no bar da escola em vez de ir de marmita atrás.

Enfim. Nada disto mata, mas mói. E muito. E às vezes torna-se difícil conseguir encontrar o ânimo e a motivação para olhar além disto, para olhar para mim. E os pensamentos repetem-se na minha cabeça, como que em loop, horas e horas a fio. E é claro que não consigo adormecer. E depois descamba tudo.

Por isso, hoje, enfiei-me na cama; e dormi e alheei-me de tudo, para tentar descansar a cabeça. Amanhã é um novo dia e tenho esperança que a cabeça esteja melhor. Preciso de conseguir relativizar isto tudo outra vez para continuar o meu percurso, que estava a correr tão bem.

Para finalizar este testamento, quero mais uma vez agradecer-vos por todas as vossas palavras, pela vossa simpatia, compreensão e encorajamento. Obrigada :)

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Hoje estou em baixo... Mesmo em baixo :(

Nem todos os dias podem ser positivos, certo??? Pois. Para a minha pessoa, parece que é errado

Pois então, hoje foi o meu dia; não fiz nadinha em casa, a não ser comida; a alimentação foi uma autêntica desgraça; não bebi água quase nenhuma; chá, nem vê-lo; exercício... O que é isso, que nem me lembro??? Paciência para os filhos? Fugiu. Até com o marido já discuti. A cabeça está a doer desde manhã. E o meu humor é melhor nem falar, porque não encontro um adjectivo adequado :(

E porquê?? Sim, eu sei qual foi o porquê; o porquê foi o facto da minha pessoa ontem não ter conseguido adormecer nem por nada. E, claro, passei a noite a comer este mundo e o outro de porcarias. E porque é que o facto de não conseguir adormecer me leva de imediato a comer tudo e mais alguma coisa que apanhe à minha frente???

E depois, dá-me para me culpabilizar. Mas porque é que eu não sou capaz de pensar qualquer coisa do género "esquece lá isso, porque um dia não são dias e de vez em quando tens direito a um dia de asneira"???

Não... Eu é logo na base do "perdido por um, perdido por mil". Logo, já sei que não vai ser fácil voltar ao registo dos dias anteriores. Estou em risco de deitar tudinho a perder por causa de um só dia em baixo. E também já sei que à pala de estar assim, esta noite também não vou conseguir adormecer como deve ser. E pronto, lá voltamos nós ao maldito ciclo vicioso da treta.

Pronto. Desculpem lá o desabafo, mas isto não pode ser tudo cor de rosa!!

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Namoro?

Se calhar é desta que vos vou chocar e nunca mais aqui voltam, hahahaha!

Então não é que na semana passada a minha filha foi pedida em namoro por um colega da escola? E não é que ela disse que sim?? E mais espantoso ainda, foi ela ter chegado a casa aos pulinhos e a primeira coisa que me disse foi que estava a namorar com um colega?? E eu... Abracei-a. E dei-lhe beijinhos. E fiquei contente pela felicidade dela. E senti-me muito orgulhosa por ela ter confiado em mim.

Pois, podem chocar-se à vontade; eu sei que a miúda ainda nem fez os 15 anos (faz em Março), que é novinha, e isto e aquilo e aqueloutro. Mas também sei a filha que estou a criar e a prova disso foi ela ter-me contado a novidade imediatamente e sem medo nenhum da minha reacção - ou da do pai, que também já sabe!

Eu fui sempre extremamente reprimida. Sempre namorei às escondidas e a verdade é que na idade dela já tinha tido uns dois namorados, pelo menos. O único rapaz que apresentei à minha família foi o meu marido, e olhem que já namorava com ele há 3 anos na altura; às escondidas, claro. E sempre jurei a mim própria que nunca, mas nunca faria isso a uma filha minha.

Ela é novinha, é certo, mas até hoje nunca me deu preocupações, sempre teve a cabeça no lugar, sempre foi responsável o suficiente e, em alturas-chave, sempre demonstrou ser capaz de tomar as suas próprias decisões. Está mais do que informada sobre contracepção, gravidez, sexo e tudo o mais, conversas essas que nunca tive qualquer problema em ter com ela. E ela sabe (e provou-o) que qualquer dúvida, qualquer situação, qualquer coisa que aconteça, pode falar comigo.

Só lhe pedi para ter cuidado, para se dar ao respeito e respeitar também e para não descurar os estudos. E sei que ela cumpre, ou pelo menos não tenho motivos para achar o contrário.

Entretanto, já sei quem é o rapazinho, ela já me mostrou uma foto dele (e é bem parecido, sim senhora, lol!), sei que é um aluno bastante razoável e bem comportado e até já está combinado ele vir cá a casa para nos conhecer - a pedido da minha filha e dele próprio, coisa que me deixou espantada!

É a vida a acontecer à frente dos meus olhos. Por um lado, estou contente por ela, pela confiança que ela demonstrou em mim e no pai e pela responsabilidade que revelou; por outro, custa tanto vê-los crescer e saírem de baixo das nossas asas...

Imagem retirada do Google Imagens

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Dia da Paz e da Não-Violência nas Escolas e Pombinhas no Ninho

Na próxima 6ª feira (30 de Janeiro) celebra-se o Dia da Paz e da Não-Violência nas Escolas. A escolinha do meu filho vai comemorar o dia e, para tal, pediu aos pais que fizessem pombinhas brancas em papel ou cartolina e/ou que os meninos levassem alguns balões, para serem libertados nesse dia.

Ora eu pus-me a pensar com os meus botões e achei que a mensagem que está por trás desta data merecia algo mais duradouro... Algo que pudesse ficar na sala de aula e servisse de referência a todas as crianças. Vai daí, puxei dos meus fios e fiz... Isto:


Três pombinhas brancas, no seu ninho, com um cartãozinho a lembrar a data. Fio 100% acrílico, agulha 4,5mm e estas instruções, para as pombas. O ninho saiu da minha cabeça e foi mais uma experiência com o ponto alto duplo encadeado, desta vez em redondo:


A pedido do meu filho, enchi o ninho com alguns restos de fios; diz ele que é para imitar os pauzinhos e as folhinhas que os passarinhos usam para construírem os ninhos a sério.

Mais algumas fotos:

O ninho com as pombinhas, visto de trás

Aqui, a perspectiva lateral

E aqui, o pormenor de uma das pombinhas

O filhote acompanhou toda a produção... Esteve o tempo todo interessadíssimo e a tentar perceber como ficaria o resultado final; e não parava de perguntar se eu tinha a certeza que a Educadora ia gostar, lol!

Hoje lá foi ele todo contente, com o seu ninho de pombinhas na mão para a escola. E fez furor! Veio todo contente, porque a Educadora criou um "predrestral" (a maior parte das crianças retira os r's das palavras... O meu acrescenta-os!) para que todos os meninos e respectivos pais as vissem, hahahahaha!

Bem, filho e escola à parte, eu acho que ficou muito giro e foi uma coisa que me deu muito prazer fazer, quanto mais não seja porque me proporcionou vários momentos de qualidade com o filhote durante o fim de semana. E agora... Vou fazer outro conjunto, porque ele quer um igual para pôr no quarto dele :)

Almocinho


Ervilhas e ovo escalfado; sem chouriço ou outras gorduras, mas com alface e alho francês. Fica uma delícia! A receita já foi publicada aqui :)

domingo, 25 de janeiro de 2015

Lego-Mochila!

Lembram-se deste post?? Pois bem, tenho a comunicar que ninguém acertou, hahahahaha! O que eu fiz com aqueles rectângulos foi... Uma mochila! Ou melhor, uma Lego-mochila, como lhe chama o meu filho, que ficou deliciado com ela :)



Mais uns restinhos de fios que por aqui andavam, uma ideia encontrada no Pinterest et voilá!


A parte de trás foi feita em ponto alto duplo encadeado, uma estreia por estas bandas mas que resultou muito bem :)


Desculpem lá a qualidade das fotos, mas foram tiradas à noite e já sem muita paciência para a coisa...


Garanto que ao vivo a mochila é bem mais gira do que parece nas fotos, lol! Esquema aqui.

sábado, 24 de janeiro de 2015

A "gaveta das tralhas" do marido

Há já uns dias que não falo de organização... Mas não parei! Só abrandei um bocadinho o ritmo porque esta semana tive vários assuntos para tratar fora de casa.

Um dos sítios a que já dei volta foi... A gaveta das tralhas do meu marido! Sim, que ele tem uma gaveta no móvel da entrada só para as coisas dele... Ou melhor, para as ferramentas, já que ele nunca as devolve à respectiva caixa! Ele é fios, fitas métricas, chaves de fendas, aparafusadora, porcas, pregos, parafusos, martelos, anilhas, borrachinhas... Há de tudo naquela gaveta.

Ora aquela gaveta já me andava a irritar há meses e, embora lhe tenha pedido por várias vezes para a arrumar, ele nunca o fez; eu passei-me, agarrei na dita e tratei eu do assunto, pronto. Agora anda ele de trombas, mas o problema é dele, até porque eu não tirei nada de lá, só organizei! Ora a bendita da gaveta estava assim:


E ficou assim:


Eu acho que ficou bem melhor, já ele... Quero lá saber! Já o avisei que se a gaveta voltar a ficar desorganizada, vou tirar tudo de lá e arrumar-lhe a caixa de ferramentas. Pode ser que assim ele tenha mais cuidado, lol!!

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Toca a mexer, minha gente!!!

Ontem não passei por aqui... Desculpem lá, que eu gosto muito de vocês, mas às vezes não me apetece mesmo ligar o pc, lol! Ontem foi um desses dias. Mas hoje já cá estou, e com algumas ideias amalucadas, que é o que acontece quando esta cabecinha se põe a tentar ultrapassar obstáculos!

Então, tomem lá algumas das minhas ideias dos últimos dias para pôr este corpinho a mexer sempre que possível, hahahahaha!

  • Estão no duche??? Que tal irem contraindo os músculos da barriguita e do rabiosque??
  • Têm de ir à casa de banho?? Pois aproveitem a sanita para fazerem alguns agachamentos (squats) (depois de despacharem o que foram lá fazer... Convém)!
  • Estão à espera que o jantar fique pronto? Não há nada como correr no mesmo sítio, ou simplesmente levantar os calcanhares do chão alternadamente!
  • Estão sentadas no sofá?? Pois ponham as costinhas direitas e toca de levantar os pezinhos do chão e trazer os joelhos o mais próximo que conseguirem do peito (podem apoiar as mão no assento do sofá para ser mais fácil)!
  • Vão passear com os filhos ou os cães ao parque?? Experimentem acelerar o passo ou até inventar um jogo com a criança/cão e desatarem a pular; ou levem uma bola e joguem à bola!
  • Precisam de subir um lance de escadas no trabalho ou noutro lado qualquer?? Pois subam-no. Quando chegarem ao último degrau, finjam que se esqueceram de alguma coisa, e desçam logo a seguir... Depois é só voltar a subir, lol!
  • Têm de ir às compras?? Estacionem o carro no lugar de estacionamento mais afastado da porta que conseguirem; ou sejam corajosas e estacionem fora do parque... Para terem que dar mais uns quantos passitos!

Pronto, fiquem com estas ideias disparatadas (mas já todas experimentadas pela minha pessoa); quando me lembrar de mais, logo vos direi :)

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Lanchinho da manhã e puré de maçã

Requeijão com puré de maçã caseirinho :)
E que bem que me soube! O puré de maçã então foi uma bela surpresa, nunca tinha experimentado e adorei.

Limitei-me a, no fim de semana, descaroçar e cortar em pedaços 7 maçãs golden. Pu-las na Yammi (com casca e tudo) com o sumo de 1 limão, 1 colher de chá mal cheia de canela, 1/2 colher de café de gengibre e 60ml de água. Liguei a máquina a 100ºC na velocidade 1 durante 1 hora e no fim dei uns toques de turbo para passar tudo.

Ficou um puré delicioso, sem uma única grama de açúcar, adoçante, mel, etc. Só o docinho das maçãs, mesmo! Perfeito para misturar com requeijão, iogurte, queijo quark, comer à colher... Enfim, o que me der na real gana :)

E se quiserem, também podem fazer num tacho! É só mexerem com alguma frequência, para não queimar e no fim passarem com a varinha mágica :)

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

"Queques" de Ovos e Claras

Para os pequenos almoços desta semana, fiz uns "queques" com ovos, claras e mais umas coisinhas. Hoje comi dois e gostei bastante!


Ingredientes:
2 ovos
6 claras (tinha congeladas, dos doces de natal)
1/2 cebola picada
1/4 pimento picado (usei vermelho)
3 fatias de fiambre picadas

Preparação:
Caso as claras estejam congeladas, deixá-las descongelar. Pré-aquecer o forno a 180ºC.

Numa frigideira, colocar duas colheres de sopa de água, deixar aquecer e refogar aí a cebola, o pimento e o fiambre durante alguns minutos, mexendo frequentemente para não pegar.

Numa tigela, bater os ovos e as claras e temperar com uma pitada de sal e pimenta (eu não pus, porque nunca ponho sal nos ovos). Distribuir os ovos batidos por forminhas de silicone (se usarem formas de metal, convém untá-las) e enchê-las até cerca de 3/4. Colocar 1 colher de chá (mais ou menos) dos ingredientes refogados em cada forminha e levar ao forno 15 a 20 minutos, até que os "queques" estejam douradinhos e cozinhados.

Quando estiverem frios, colocar em caixinhas e congelar. Depois, é questão de não esquecer de tirar dois queques da arca congeladora na noite anterior para comer ao pequeno almoço! Eu deixei logo 3 doses de fora - uma para hoje, outra para amanhã e outra para depois de amanhã; as restantes congelei, porque me pareceu que já seriam dias a mais no frigorífico.

Quem não quiser a cebola e/ou o pimento pode pôr só o fiambre ou mesmo só os ovos e as claras :)

Receita adaptada daqui.

2 semanas e menos 2kg

Na semana passada a Life is Sweet perguntava-me num comentário como estava a correr a perda de peso. Na altura não fazia a mais pequena ideia e respondi-lhe isso mesmo!

Hoje resolvi então pesar-me e fazer um "ponto de situação", por assim dizer. Ora então, passadas 2 semanas e mais 2 dias, tenho 2kg a menos! Não é nada de especial, eu sei, há quem perca muitíssimo mais no mesmo período de tempo, mas, para mim, para o que tenho feito e para os meus objectivos, está óptimo!

Não deixei de comer nada, incluindo bolos - se me apetece, como, só não exagero! Evito os hidratos de carbono à noite, bebo pelo menos 8 copos de água por dia e 1 a 2 chávenas de chá verde, sempre que possível tenho legumes e vegetais no prato (almoço e jantar) e tento fazer algum tipo de exercício 20 minutos por dia. Também tento comer de 3h em 3h. E esta semana e na que passou tive o cuidado de planear os lanches da semana no domingo, para não me espalhar.

Tive dias de muitos excessos, porque a ansiedade ataca (seja lá por que motivo for). Num deles comi um pacote de bolachas maria inteirinho à noite... Noutro atirei-me às batatas fritas de pacote também à noite... Mas por norma não costuma ser assim tão mau, lol! O grande problema é mesmo conseguir controlar a ansiedade na altura de me deitar e adormecer. Se adormecer relativamente rápido, a coisa corre bem; se desato às voltas na cama... descamba tudo.

Em termos de exercício, tento ir variando; o recurso é a bicicleta estática, nem que seja enquanto a sopa está ao lume, por exemplo; também faço caminhadas, vídeos de power walking, e lá muito de vez em quando salto à corda (haja fôlego...). Nesta área, noto perfeitamente que quando estou dois ou três dias sem fazer um tipo de exercício, quando volto a fazê-lo custa-me menos, o que me parece bastante positivo :)

Na roupa, e embora tenha perdido pouco peso, já noto algumas diferenças - este fim de semana consegui vestir e usar um dia inteiro sem qualquer esforço umas calças nº44, que quase não conseguia abotoar na cintura. E o mesmo em relação a umas botas de cano alto, que não apertavam o fecho até acima e no domingo... Foi um ar que se lhe deu, até me assustei e achei que tinha partido o fecho, de tão depressa que ele subiu!

Por isso, balanço positivo. Agora é continuar, é continuar, minha gente! Com muita calma, sem stresse, um dia de cada vez. Eu chego lá, eu sei que chego :)

domingo, 18 de janeiro de 2015

Almocito de hoje


Feijão verde no forno, frango também no forno e sem pele e algumas batatas fritas na Actifry (sem óleo, portanto).

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Ontem organizei... A gaveta das toalhas turcas!

Ontem, antes de magoar o dedo ainda organizei umas coisitas cá por casa; uma dessas coisas foi a gaveta dos turcos. Ou melhor, as gavetas dos turcos.

As nossas toalhas turcas estão guardadas na cómoda que está na entrada; optei por guardá-las aí e não na casa de banho, para não ficar com esta a deitar por fora e também para as toalhas não ganharem humidade quando não estão a uso, já que a minha casa de banho é interior, não tem nenhuma janela, e quando tomamos banho, por mais que liguemos o respirador, fica tudo cheio de vapor de água.

Até ontem, as toalhas ocupavam duas gavetas; isto contando com toalhas de corpo, de mãos e de bidé (que não sei porque é que tenho estas últimas, já que ninguém as usa; mas ainda não foi desta que me livrei delas, lol). Depois de retirar as toalhas que já não estavam em condições, que foram cortadas e passaram a servir como panos de limpeza, voltei a arrumar tudo. E continuava com duas gavetas ocupadas... Não me agradou. Tirei as tolhas todas para fora outra vez, dobrei-as de outra maneira... E nada; duas gavetas ocupadas na mesma. Até que se fez luz e... Enrolei as toalhas! Pronto, assunto resolvido - tudo na mesma gaveta:

Peço desculpa, mas esqueci-me completamente das fotos do antes... Ficam com a do depois!

Toalhas de bidé na caixa à esquerda, seguidas das toalhas de rosto e finalmente os toalhões à direita. E sim, nós usamos toalhões de banho em vez de toalhas, porque são muito mais confortáveis; a desvantagem é que ocupam muito mais espaço nas gavetas... Enfim. Ainda tenho é que me livrar de mais algumas toalhas de bidé e de rosto. E ver se, com o tempo, consigo trocar esta toalhada toda por toalhas todas da mesma cor, porque esta gaveta parece um aro-íris e está a irritar-me só assim um niquinho de nada...Grrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!!!

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Dedo em baixo

Ora que, como de costume, à tarde lá fui eu buscar o meu petiz e o seu coleguinha. Ora que estava a chover. E a ventar. E eu a querer manobrar um chapéu de chuva para os miúdos não ficarem ensopados e ao mesmo tempo enfiá-los dentro do carro. E ora que veio uma rabanada de vento que me virou o chapéu. E o dedo... Foi atrás do chapéu.

Na altura não liguei nenhuma. Miúdos no carro, chapéu fechado, entra no carro e 'bora p'ra casa. Pois. Ao fim de 10 minutos achei que o dedo me doía um bocadinho. Ao fim de 2h, quase não o conseguia mexer.
Desculpem lá a maravilha de foto, mas com o polegar direito em baixo e sem saber fazer nada com a mão esquerda, foi o melhor que consegui arranjar!
O marido quer que eu vá ao hospital. Eu, como para o hospital só vou se estiver a morrer (e o dedo só está um bocadito inchado, nada de especial em termos de aparência), tratei de pôr um creme anti-inflamatório e ligar o dedo e a mão, para não me esquecer e não desatar a fazer movimentos bruscos (sim, que eu sou menina para fazer toda a minha vidinha perfeitamente normal e esquecer-me completamente do dedo, até ao momento em que a dor se torne mesmo insuportável). Esperemos um dia ou dois e depois logo se vê!

Esta "febre" é perigosa! Em vários sentidos!!

Qual febre??? A da organização! Acho que já se transformou num vício, lol! A primeira parte, a do destralhamento, faz-se que é uma lindeza, desde que a nossa mente esteja disponível para tal. Já a fase de encontrar um sítio para cada coisa e pôr cada coisa no seu sítio torna-se um pouco mais lenta, mas também se faz!

Ando de volta da despensa desde anteontem. Já troquei tudo de sítio pelo menos quatro vezes e pelo meio fui trocando pequenas coisas. E ainda não está como quero, hahahahaha! Talvez seja porque os recipientes são todos adaptados (leia-se "encontrados pela casa fora"), ou porque eu ainda não percebi qual é a forma de arrumação mais funcional, ou porque a despensa costuma estar mais "recheada" do que está e, inconscientemente, tenho receio que depois as coisas não caibam lá... Mas o facto é que me está a saber muito bem construir este puzzle, mesmo com todo o trabalho que está a dar.

Pelo meio, para não estar sempre enfiada na despensa, vou arrumando uma gaveta aqui, outra ali... Mais logo mostro qualquer coisita :)

E volta e meia atiro-me à bicicleta estática; 10 minutinhos a pedalar e lá surge outra ideia... De 10 minutinhos em 10 minutinhos, ontem pedalei pelo menos 1h. Resultado? Ontem eram 21h45 e estava na cama. Soube tão bem!!! Já hoje, não me aguento das pernas, pois 'tá claro!

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Hoje organizei...

A gaveta das facas e o armário das caixas plásticas; também andei de volta da despensa e da cómoda da entrada, mas essas só acabo amanhã. Vamos lá ver se encontram as diferenças:

Gaveta das facas, antes

Gaveta das facas, depois
Esta gaveta até nem estava assim tão mal, mas tinha algumas coisas cuja "casa" não era ali, de certeza! Falo, por exemplo, das velas para os bolos de aniversário. Tirei tudo da gaveta, lavei-a, sequei-a, voltei a arrumar o que lá pertencia.

As restantes coisas foram destralhadas - algumas seguiram para a caixa dos acessórios de aniversário, as outras, lixo com elas porque não interessavam a ninguém nem estavam em condições de serem doadas.

A seguir, como que contagiada por uma febre de arrumação e organização, abri as portas do armário das caixas plásticas:


Na foto até pode não parecer, mas a realidade é que enfiar ali mais uma caixa ou tampa resultaria, no mínimo, num valente desmoronamento do que já lá estava. Mais uma vez, tirei tudo para fora e limpei as prateleiras.

Depois estive pacientemente a emparelhar as caixas com as respectivas tampas; despachei tudo o que eram tampas desirmanadas, caixas sem tampa, e ainda a grande maioria das caixas redondas (só ficaram duas, porque têm usos específicos e dão-me jeito que sejam redondas), além de uma forma de buraco que estava repetida; ficaram só as caixas quadradas e algumas rectangulares. Mesmo assim, acho que tenho caixas a mais; mais tarde ou mais cedo ainda hei-de destralhar mais umas quantas!

Estas são as coisas de que me livrei:


E gostei do resultado final:


Troquei as formas para a prateleira de baixo e pus grande parte das caixas umas dentro das outras, com as respectivas tampas, já que elas encaixam mesmo com as tampas postas. Ao lado das formas estão algumas embalagens de plástico (em que vêm as carnes embaladas), que uso frequentemente quando preciso de congelar rissóis, hambúrgueres, almôndegas, etc. (entretanto já lhes dei outro uso, mas depois mostro!). E por baixo dessas embalagens, tampas de caixas que estão a uso na despensa.

Acabei por finalmente conseguir arranjar espaço para guardar a lancheira e o termos da minha filha, que estavam sempre em cima de um qualquer armário.

E então, que tal vos parece? Está melhor, não está?